10.10.2023

O Cerrado entre o agronegócio e a busca por investimentos sustentáveis

Conhecido como o berço das águas, o bioma tem índices de desmatamento maiores do que os da Amazônia

Escrito por
Sabrina Brito
fotografia
TEXTO originalmente publicadO em
Imagem de arvore com flores roxas no meio de uma floresta.
Foto:
Joédson Alves/Agência Brasil
Vista do Cerrado na cidade de Cavalcante, em Goiás.

Recentemente, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Banco Mundial anunciaram a destinação de R$ 9,3 milhões para ações de desenvolvimento verde no Cerrado, considerado o segundo maior bioma do Brasil.

A região vem apresentando sinais preocupantes em razão do desmatamento. Por isso, a iniciativa busca viabilizar 16 projetos diferentes e beneficiar aproximadamente 2.000 famílias de comunidades tradicionais, quilombolas e indígenas da área, com o objetivo de ajudar a preservar e restaurar a região.

O Cerrado é também o segundo maior bioma de toda a América do Sul. Apelidado de “savana brasileira”, o ambiente conta com enorme biodiversidade animal e vegetal.

Além do Brasil, onde se espalha por estados como Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul, e Mato Grosso, o Cerrado abrange porções do Paraguai e da Bolívia. A região ainda é responsável pela água de cerca de 70% das bacias hidrográficas brasileiras.

Contudo, apesar de sua enorme riqueza, a área sofre com o avanço de pastagens ou áreas de cultivo, que ganharam espaço no bioma em detrimento da área vegetal natural, o que acaba por impactar todo o ecossistema.

Na última semana de setembro, o Sistema de Alerta de Desmatamento do Cerrado publicou novas informações sobre a queda da vegetação nativa na fronteira agrícola entre Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia: de acordo com os dados, desde janeiro deste ano, 494 mil hectares da área foram afetados. Dos quatro estados, três apresentaram aceleração no desmatamento inclusive durante o mês de agosto.

Por enquanto, ao menos as queimadas, muito comuns na região, parecem ter dado certa trégua em 2023: a área queimada no Cerrado do Mato Grosso do Sul caiu 53,5% de janeiro até setembro em relação ao mesmo período do ano passado, segundo informações da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação presentes no informativo de Monitoramento de Incêndios Florestais.

Por outro lado, com o aumento das temperaturas no verão, a ocorrência de incêndios florestais na área pode se intensificar, sobretudo nos meses de dezembro e janeiro, conforme o El Niño atinge seu pico. A análise foi passada com exclusividade à Agência Pública.

Atualmente, fica claro que o Cerrado vive um impasse entre a produção agropecuária e a sustentabilidade. Se, por um lado, o embate pode parecer difícil de solucionar, por outro, já existem iniciativas nesse sentido.

Justamente com o objetivo de incentivar a expansão da agricultura sustentável, que gera menos impactos no meio ambiente, o mercado financeiro viabilizou a emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio Verdes, os quais permitirão investimentos de cerca de R$ 232 milhões para a produção de soja na região.

Esses recursos objetivam financiar 122 propriedades rurais com juros inferiores à média, gerando, em troca, o compromisso dos agricultores de atuar conforme as regras do desmatamento zero em suas respectivas regiões.

Outras iniciativas ganharam força nesse sentido. É o caso da Plangea Web, plataforma grátis criada pelo Instituto Internacional para Sustentabilidade que visa instruir pessoas jurídicas na tomada de decisões em relação a ações de preservação.

Por meio de seu uso, é possível identificar os lugares mais importantes para se investir a depender do objetivo, a partir de informações como a vulnerabilidade de regiões e o risco de extinção de determinadas espécies.

Assim, o Cerrado está passando por um importante momento de definição, ao final do qual ficará claro se será possível conciliar o agronegócio com a sustentabilidade – ou se, melhor do que isso, encontraremos uma forma de aliar um ao outro e juntar o lucro e a sustentabilidade.

Gostou das histórias que você viu por aqui?

Inscreva-se para ficar sempre em dia com o melhor do nosso conteúdo
No items found.
escrito por
Sabrina Brito
Sabrina Brito
Jornalista formada pela ECA-USP e graduanda em Direito pela PUC-SP
fotografado por
Sabrina Brito
voltar ao topo