9.10.2023

Conheça seis jovens que se destacam na proteção do meio ambiente

A nova geração pratica o ativismo ambiental na internet e inspira milhares de pessoas a serem sustentáveis

Escrito por
Luana Neves
fotografia
TEXTO originalmente publicadO em
Imagem de multidão reunida em torno de um palco.
Foto:
Jonne Roriz/ Nosso Impacto

Muito antes de Greta Thunberg, jovens mundo afora já agiam para defender seus ideais e lutar por um mundo melhor. Mesmo assim, a visibilidade que a ativista sueca atraiu a partir das greves às sextas-feiras para combater a mudança do clima jogou luz sobre o potencial de ação que as juventudes têm.

Com a potência das redes sociais, diferentes vozes em defesa do meio ambiente ganharam força e somaram seguidores para alcançar um objetivo em comum: proteger o planeta. Em outros casos, adolescentes descobrem desde cedo a vocação para a ciência e se dedicam a criar soluções para problemas históricos.

Na internet, ao abordar temas como sustentabilidade e reciclagem, os influencers adicionam novos elementos ao ativismo ambiental, mobilizam pessoas a mudarem seus comportamentos e conscientizam públicos de alguns milhares de indivíduos sobre os impactos causados pelas ações humanas no meio ambiente.

Veja, a seguir, alguns dos nomes que fazem parte dessa mudança.

Uma mulher de camisa azul ao lado de um tanque de água.
Foto: Reprodução/ Instagram

Anna Luísa Beserra (@annaluisabeserra), de 26 anos, é cientista e empreendedora social. Desde os 15, busca uma solução para resolver a escassez de água em regiões semiáridas. Em 2018, desenvolveu a tecnologia Aqualuz, dispositivo que desinfecta a água das chuvas por meio de radiação ultravioleta. A descoberta lhe rendeu o prêmio Jovens Campeões da Terra, da Organização das Nações Unidas (ONU) Meio Ambiente. O projeto, que ganhou força enquanto Anna Luísa cursava biotecnologia na Universidade Federal da Bahia (UFBA), tem a meta de impactar 1 milhão de pessoas até 2025. 

Mulher sentada com símbolo de reciclagem.
Foto: Reprodução/ Instagram

Úrsula Abiahy (@pedagogia_sustentavel) já participava de eventos de limpeza de praia desde 2005. Durante a pandemia, a ativista ambiental, de 23 anos, começou a produzir conteúdo sobre reciclagem, consumo consciente e educação ambiental no Instagram com o intuito de incentivar hábitos sustentáveis. Em 2023, entrou para o Global Shapers RJ, uma comunidade internacional de jovens que impactam o mundo por meio de projetos inovadores.

Atualmente, a estudante de Pedagogia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) conta com mais de 60 mil seguidores e trabalha espalhando conteúdos educativos sobre questões ambientais nos perfis @pedagogia_sustentavel, @menos1lixo e @greenpeacebrasil.

Uma mulher segurando uma placa em frente a um prédio.
Foto: Reprodução/ Instagram

Hannah Balieiro (@eguahannah), de 28 anos, é ativista ambiental e formada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Amapá (Unifap). Ela é diretora-executiva do Instituto Mapinguari, ONG que atua principalmente em áreas protegidas, buscando promover a preservação e conservação do meio ambiente.

A bióloga participou da 26ª Conferência das Partes sobre Mudanças Climáticas da ONU (COP-26) e é ativa em discussões sobre mudanças climáticas em comunidades tradicionais e cidades da Amazônia.

Um homem segurando uma medalha em um evento.
Foto: Reprodução/ Instagram

Com apenas 17 anos, o pesquisador brasileiro Gustavo Botega Serra (@gustavobotegas) desenvolveu um repelente, de baixo custo, a partir do óleo da polpa e da amêndoa do tucum-mirim, fruto encontrado na Amazônia. 

O estudante ficou em primeiro lugar na categoria Inovação na Feira Brasileira de Ciência e Tecnologia (Febrace), principal mostra pré-universitária de Ciências e Engenharia.

Além disso, ele ganhou uma bolsa de estudos em Israel e um passe para a Regeneron ISEF, o maior evento de ciências do mundo. Gustavo finalizou o Ensino Médio em 2022 e pretende continuar no campo da pesquisa científica.

Duas jovens mulheres de camisas azuis sentadas no chão com sacos de lixo.
Foto: Reprodução/ Instagram

Idealizado em 2018 pelas irmãs gêmeas Laisa Arruda e Laís Araújo, o movimento Xô Plástico (@xoplastico) foi a alternativa encontrada para limpar os espaços tomados pela poluição plástica no Recife.

Além da limpeza, o projeto atua com ações de conscientização do descarte incorreto do material. As irmãs, de 26 anos, mostram no Instagram as ações realizadas pela comunidade e aliam as iniciativas a conteúdos de educação ambiental para os 23 mil seguidores do perfil. 

Com cerca de 200 voluntários, as ações de limpeza são feitas mensalmente, em praias e manguezais. Desde o início do projeto, a iniciativa coletou 6,5 milhões de quilos de lixo. 

Gostou das histórias que você viu por aqui?

Inscreva-se para ficar sempre em dia com o melhor do nosso conteúdo
No items found.
escrito por
Luana Neves
Luana Neves
É estudante de jornalismo na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e estagiária no Nosso Impacto
fotografado por
Luana Neves
voltar ao topo