Marina Santana: como a poluição por microplásticos interfere nos oceanos

Os microplásticos já foram encontrados em todos os lugares. Caso nada mude na forma como consumimos e descartamos o material, estima-se que até 2050 o oceano terá mais plásticos do que peixes.

Escrito por
Jennifer Ann Thomas
fotografia
publicado em
16/5/2022
atualizado em
16/5/2022 19:43

O uso de canudos, sacolas e talheres descartáveis virou sinônimo de contribuição com a poluição marinha. O que nem todos sabem é que o microplástico – a partícula sólida que tem menos de 5 milímetros de diâmetro – é um problema tão importante quanto o plástico comum e que chama bem menos atenção. Ele está nos cremes dentais, na composição dos tecidos sintéticos e também se forma a partir da degradação de plásticos maiores. Neste episódio do Bagunça Organizada, Marina Santana, oceanógrafa que trabalha no Instituto Australiano de Ciências Marinhas (AIMS), conta o que a ciência já sabe sobre os efeitos desses materiais no oceano e na saúde dos organismos. 

Tags relacionadas
No items found.
escrito por
Jennifer Ann Thomas
Jornalista especializada em meio ambiente e sustentabilidade e cofundadora do Nosso Impacto
fotografia