Biodiversidade e bioeconomia: como o registro de patentes protege a natureza e os povos tradicionais

O advogado Luiz Marinello explica como funciona a repartição de benefícios pela exploração de recursos da biodiversidade e quais são os principais tratados que regem esse mercado

Escrito por
Jennifer Ann Thomas
fotografia
publicado em
26/5/2022
atualizado em
26/5/2022 10:58
matéria originalmente publicada em

Andiroba, cupuaçu, açaí – plantas e frutos, além de substâncias com origem animal, fazem parte dos rótulos de produtos de diversos segmentos, como alimentos, cosméticos, fármacos, entre outros. Para fazer uso desses produtos, há uma série de regras e tratados internacionais que norteiam a exploração da biodiversidade, os quais garantem os direitos atrelados ao conhecimento tradicional de povos indígenas e comunidades tradicionais. Neste episódio do Bagunça Organizada, o advogado Luiz Marinello explica os detalhes dos acordos globais e as vantagens de se investir na bioeconomia.

Jennifer Ann Thomas
escrito por
Jennifer Ann Thomas
Jornalista especializada em meio ambiente e sustentabilidade e cofundadora do Nosso Impacto
fotografia